Standing at the Gates of HellAo contrário do que sugere o título, o post não pretende divagar sobre nossos possíveis vizinhos interplanetários. A coisa é bem mais próxima e preocupante.

Esta manhã, surgiu na minha garagem, enroscada sobre uma bomba d’água, uma longa e lustrosa serpente. Não conheço ofídios, nem quero intimidade com eles. Detestei a visita na infância ao Instituto Butantan e não me agrada ser anfitrião da espécie.

Como sabem, na atual ditadura do ecologicamente correto, cobra não é mais assunto que se resolva com porrete. A regra é chamar os Bombeiros, que a recolherão carinhosamente e a devolverão ao seu habitat natural. Algo como soltar o criminoso rapidinho para que ele possa voltar a assaltar. Será que é por isso que chamam o bandido veterano de “cobra criada”? Mas como hoje no Brasil discutir com os protetores de cobras e morcegos é quase um crime inafiançável, o prudente cidadão aqui resolveu seguir o protocolo.

Durante 25 minutos liguei alternadamente, do telefone fixo e do celular, para 193, para 3399-1234 e até para 2538-1234 (o grupamento dos Bombeiros a 500 metros da minha casa). Nenhum desses números atendeu.

Fosse fogo, teriamos queimado com o telefone na mão.

The Fire that Burns WithinTentei, então, ligar para 190, o número de emergência policial. Agradável surpresa, fui atendido no primeiro toque por uma gentil operadora que gentilmente me informou que nada podia fazer, eis que não tem comunicação com os Bombeiros e não pode fazer chamadas externas. Rápido, gentil e inútil.

Não era incêndio, mas minha temperatura começou a subir. Pensei na taxa de incêndio e naqueles impostos todos que mantêm nossos governantes viajando de primeira classe por aí. Imaginei estádios olímpicos em chamas e os Bombeiros olimpicamente aquartelados.

Num estalo voltei à realidade. Ainda tinha uma penetra enrodilhada na garagem. O porrete me parecia cada vez mais atraente. Afinal, no que pese a opinião do MST, a casa de um homem é seu castelo! Se o poder público, cujos salários nos saem tão caros, não nos proteje, decerto podemos nos defender…

Mas tem aquela estória da função social da propriedade, que enfiaram na nova Constituição. Algo como, é seu desde que os quilombolas, os índios, as minorias, os anistiados, os companheiros do partido, o sobrinho do senador e sabe Deus quem mais não queiram. Será que isso inclui as cobras?

Fireman's Water Fight TeamE o bicho lá. Um dilema. Matar gambá é crime. Vai ver que cobra também é. Será que cobra é animal silvestre? Espécie em extinção? Será que eu vou ter que negociar com ela? Entrar com uma ação de reintegração de posse?

Liguei o computador (já não se fazem listas telefônicas como antigamente). No site dos Bombeiros confirmei que os números que estava discando eram todos válidos. Tentei novamente. Nada. Achei no site o telefone do quartel central. Após alguns toques, um simpático e prestativo bombeiro atendeu. Expliquei o drama e perguntei se ele poderia contatar pelo rádio o meu quartel local. Ele disse que tinha um conhecido lá, que ligaria pelo celular. Pediu uma caneta emprestada a alguém e anotou meus dados.

Momentos depois, o conhecido-do-bombeiro-que-atendeu-minha-ligação-por-acaso me ligou. Disse que a viatura estava empenhada em outra missão, mas que a enviaria quando possível. Pedi uma estimativa do tempo. Dez minutos, dez horas, quem sabe?

AshesJá se fazia quase uma hora da descoberta da intrusa rastejante. As autoridades já sabiam da presença do animal. O porrete não era mais opção. Mandei então colocar o réptil num balde com tampa e levar até o quartel dos Bombeiros. A essa altura, ou virou churrasco ou está livre e feliz, nas acolhedoras matas do Humaitá, quem sabe preparando sua próxima visita…

Sempre olhei com simpatia para o Corpo de Bombeiros. Gente que arrisca a vida para salvar a nossa, que enfrenta a fornalha para nos tirar de lá. Lamentavelmente, a ineficiência do poder público consegue anular até a bravura dos soldados do fogo. Se minha casa estivesse em chamas, teria sido totalmente consumida, com tudo e todos que estivessem dentro, porque os telefones de emergência não atendem!

Acho que estamos realmente sós…

Fotos: Shane Gorski, “Standing at the Gates of Hell”, Flickr, 12 Mar 2008, Creative Commons (BY-ND); Nick P, “The Fire that Burns Within”, Flickr, 12 Mar 2008, Creative Commons (BY-NC); Lyle Payne/Macomb Paynes, “Fireman’s Water Fight Team”, Flickr, 29 Aug 2009, Creative Commons (BY-NC-SA); Siesja, “And then in one moment everything turns to ashes”, Flickr, 17 Jul 2008, Creative Commons (BY-NC).